Risco de AVC: Grupo sanguíneo 0 ou A? Velho ou jovem?

Risco de AVC: Grupo sanguíneo 0 ou A? Velho ou jovem?

Last Updated on September 15, 2022 by Joseph Gut – thasso

11 de setembro de 2022 – O tipo sanguíneo determina o risco de AVC? Um estudo mostra quais fatores podem ser decisivos quando se trata de um acidente vascular cerebral (AVC) em uma idade jovem. A surpresa aqui: o grupo sanguíneo parece desempenhar um papel importante. Um extenso estudo agora entrou no fator de risco de acidente vascular cerebral “grupo sanguíneo“.

Mais e mais acidentes vasculares cerebrais estão ocorrendo em jovens. Acidentes vasculares cerebrais são distúrbios na função cerebral que podem ter consequências fatais. Um novo estudo da Faculdade de Medicina da Universidade de Maryland (UMSOM) mostra que o tipo sanguíneo de uma pessoa é um fator chave na probabilidade de ter um derrame. Um total de 48 estudos foram analisados ​​pelos pesquisadores. Nele, foram examinadas 5.825 pessoas que tiveram AVC antes dos 60 anos e 9.269 pessoas que tiveram AVC após os 60 anos. Um total de 616.000 pessoas participaram do estudo. O objetivo do estudo era descobrir por que mais e mais jovens sofrem de AVCs, morrem cada vez mais como resultado ou têm que viver com deficiências após um AVC. O estudo de associação de todo o genoma foi realizado como parte do Consórcio Genetics of Early Onset Ischemic Stroke, uma colaboração de 48 estudos diferentes na América do Norte, Europa, Japão, Paquistão e Austrália. Estudou AVC isquêmico de início precoce em pacientes com idade entre 18 e 59 anos.

Grupo sanguíneo decisivo para o risco

E o grupo de pesquisa chegou a uma conclusão clara: o risco de AVC pode ser classificado com base no grupo sanguíneo. Os grupos sanguíneos 0 e A foram comparados entre si. Pessoas com grupo sanguíneo 0 apresentam um risco 12% menor de um AVC precoce. Enquanto as pessoas com sangue tipo A apresentam um risco 16% maior. Mas isso só se aplica ao risco em pessoas mais jovens.Os pesquisadores descobriram que os efeitos protetores do tipo 0 foram significativamente maiores no AVC inicial do que no AVC tardio (odds ratio [OR], 0,88 versus 0,96; p = 0,001). Da mesma forma, a associação entre o tipo A e um risco aumentado de AVC precoce foi significativamente mais forte do que a observada para AVC tardio (OR, 1,16 vs. 1,05; P = 0,005). Usando pontuações de risco poligênico, os pesquisadores também descobriram que um risco genético maior de tromboembolismo venoso, outro distúrbio pró-trombótico, foi mais fortemente associado ao AVC precoce do que ao AVC tardio (P = 0,008).

Estudos anteriores mostraram uma ligação entre o risco de acidente vascular cerebral e variantes no gene ABO, que determina o tipo sanguíneo. A nova análise sugere que as variantes do gene tipo A e 0 são responsáveis ​​por quase todos os tipos geneticamente ligados ao AVC precoce, observam os pesquisadores. A partir dos 60 anos, o grupo sanguíneo não é mais o fator decisivo. Existem outros fatores de risco à medida que você envelhece. Entre outras coisas, pressão alta, falta de exercício, tabagismo ou estresse.

Razões para o risco ainda não conhecidas

Os especialistas ainda não sabem por que o grupo sanguíneo A pode ter um risco maior de derrame. Pode haver uma associação com fatores de coagulação do sangue, plaquetas e células que revestem os vasos sanguíneos e outras proteínas circulantes, todas as quais podem desempenhar um papel na formação de coágulos sanguíneos. Embora os resultados do estudo sejam um passo na direção certa, os pesquisadores sabem que precisam fazer mais pesquisas para determinar o motivo do aumento do risco com base no tipo sanguíneo. Eles também querem que as pessoas com sangue tipo A não se preocupem porque ainda varia de caso para caso.

Agir rapidamente é fundamental

Em caso de acidente vascular cerebral, a ação deve ser tomada rapidamente, porque o seguinte se aplica: as chances são melhores a cada hora antes da próxima. Em caso de sintomas, como distúrbios sensoriais faciais, distúrbios visuais ou distúrbios da fala, deve-se agir imediatamente e ligar para o serviço de emergência no número de telefone relevante. Porque, como eu disse, quanto mais rápido você agir, maiores serão as chances de uma cura sem problemas.

Print Friendly, PDF & Email

Your opinion

Comment

No comments yet