Bactérias multirresistentes: novo antibiótico destrói germes hospitalares

Bactérias multirresistentes: novo antibiótico destrói germes hospitalares

Last Updated on Março 5, 2024 by Joseph Gut – thasso

29 de fevereiro de 2024 – Há muitos anos que as pessoas procuram formas de se livrar dos germes multirresistentes. Pesquisadores norte-americanos da Universidade de Harvard desenvolveram um novo antibiótico eficaz contra uma variedade de bactérias resistentes. Os resultados foram publicados na revista Science. A cresomicina também mata germes responsáveis ​​por infecções em hospitais que são difíceis de tratar.

O perigo dos germes multirresistentes

Os germes multirresistentes são particularmente perigosos porque os antibióticos convencionais não podem fazer nada contra eles. Por exemplo, 400.000 a 600.000 pessoas na Alemanha são infectadas com esses agentes patogénicos todos os anos e 10.000 a 20.000 pessoas morrem por causa deles. As bactérias resistentes são causadas principalmente por antibióticos prescritos desnecessariamente ou usados ​​incorretamente. Se os patógenos sobreviverem ao uso de antibióticos, a probabilidade de desenvolvimento de resistência fatal aumenta.

Testando cresomicina.

Os germes não podem mais escapar. Isso ocorre porque muitos antibióticos clássicos incapacitam as bactérias ao impedir os ribossomos (locais de produção de proteínas essenciais para a sobrevivência). No entanto, algumas bactérias conseguem alterar a estrutura dos seus ribossomas para que os medicamentos não interfiram mais e possam multiplicar-se sem impedimentos.O objectivo dos cientistas de Harvard era, portanto, desenvolver um meio que desligasse estes mecanismos evasivos. Segundo a equipe de pesquisa, a cresomicina produzida artificialmente conseguiu exatamente isso em estudos de laboratório e destruiu germes multirresistentes sem causar danos às células saudáveis.

Sucesso também em experimentos com animais

Em experimentos com animais, os ratos sobreviveram a um envenenamento fatal do sangue graças ao novo antibiótico, e a droga funcionou até mesmo em animais imunocomprometidos. Os primeiros estudos clínicos estão agora planejados para testar o efeito em humanos.

Durante muitos anos, as pessoas procuraram maneiras de se livrar dos germes multirresistentes. O contato com eles geralmente é inofensivo para pessoas saudáveis. No entanto, podem causar danos devastadores a pessoas com sistemas imunitários enfraquecidos porque as infecções mais graves se espalham de forma incontrolável.

 

Isenção de responsabilidade: imagens e/ou vídeos (se houver) neste blog podem estar sujeitos a direitos autorais. Todos os direitos permanecem com o proprietário desses direitos.

 

Print Friendly, PDF & Email

Ph.D.; Professor de Farmacologia e Toxicologia. Especialista sênior em medicina theragenômica e personalizada e segurança individualizada de medicamentos. Especialista sênior em farmacogenética e toxicogenética. Especialista sênior em segurança humana de medicamentos, produtos químicos, poluentes ambientais e ingredientes dietéticos.

Deixe um comentário

Optional: Social Subscribe/Login

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.